quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Obrigada, América!


Hoje é um grande dia.
Palavras para quê?

3 comentários:

Alexandra disse...

Obrigada América! Indeed!!

A magia do 5 de Novembro perdurará no meu coração.

Na véspera, comovem-me as imagens de longas filas de eleitores, determinados. Ao acordar, a boa notícia da vitória da coligação da boa vontade. Na TV, as lágrimas do reverendo Jesse Jackson, a alegria, alguma surpresa, estampadas nos rostos de anónimos de várias côres e condições.

Todos Americanos, eles e nós. Solta-se-me o choro. Um choro bom.

Passei da incredulidade para a euforia. Vi crescer uma vaga de fraternidade, de comunhão, que toca a minha família, os meus amigos, os meus colegas, que varre o mundo. Um sentimento de que "Hoje é Natal". Mas um Natal bem aventurado como na infância.

E eu pude dizer, à americana, sem nenhuma ponta de ironia: "It´s gonna be a nice day!".

Às vezes, os cínicos não têm razão.

Anónimo disse...

oh god...

O Raio disse...

Acho bonito que a América tenha eleito um cidadão que não é 100% caucasiano para presidente.
Acho também que ele não vai mudar nada, isto é, vai mudar o estilo, o resto continuará na mesma como já se começa a perceber pelas escolhas que está a fazer para a sua equipa.
É necessário mudar alguma coisa para que tudo continue na mesma...
Mas, tenho uma pergunta a fazer, quantos países europeus teriam a possibilidade de eleger um mulato ou um negro ou mesmo um norte-africano, chinês, etc., para presidente?