sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Agora é a pena de morte...

Está visto: a Polónia parece mesmo apostada em estragar os planos da presidência portuguesa da UE: além das dificuldades que tem levantado ao Tratado europeu, agora decidiu bloquear a instituição de um dia europeu contra a pena de morte, a 10 de Outubro.

A ideia não é portuguesa, é do Conselho de Europa, mas Portugal aplaude e empenhou-se a fundo no processo, aproveitando para se orgulhar de ter sido o primeiro país europeu a acabar com a pena de morte.

Os polacos argumentam que não é preciso criar um dia contra qualquer coisa que já não existe em nenhum país da UE. Os outros países respondem que a questão não é essa e que o dia europeu pretende ser mais uma forma de reforçar a posição e os apelos da UE à abolição da pena capital a nível mundial.

Nada feito: os polacos estão inamovíveis, e não é sequer claro se poderão ou não suavizar a posição depois das eleições legislativas, dentro de algumas semanas. É que para Varsóvia, em vez da pena de morte, o que se deveria criar seria um dia a favor da defesa da vida em geral. O que equivaleria a condenar o aborto (legalizado em todos os países da UE com excepção da Polónia, Irlanda e Malta) e a eutanásia ...

12 comentários:

Anónimo disse...

A ideia do dia europeu contra a pena de morte é excelente... Será a Polónia a voz dos EUA na Europa?

Anónimo disse...

Concordo plenamente.

Anónimo disse...

Claro, tal como o Irão é o porta-voz dos EUA no Médio Oriente, uma vez que também aplica a pena de morte.

Anónimo disse...

Tretas... os polacos têm razão, há coisas mais importantes do que isso, apliquem esse empenho todo em resolver problemas presentes e não em campanhas despojadas.

Josephus disse...

I love Poland

É bom saber Q ainda existe bom senso ...

MAC disse...

Força, Polónia! Bendito povo que tanto tem sofrido porque nunca se quis deixar dominar pelos que lhe querem impôr a mentira. Única nação com coluna dorsal, nesta Europa gelatinosa em vias de extinção!

Qualquer pessoa minimamente séria consegue compreender que a luta pela vida - qualquer vida - é também a luta contra todo o tipo de morte. Porque será então que a Europa se quer limitar apenas à politicamente correcta luta contra a pena de morte, esquecendo que existem outras?

Porque será?!...

Pedro Morgado disse...

Não surpreende vindo de um governo católico de (quase) extrema direita.

Joao EU céptico disse...

Aqui já não digo Obrigado Polónia. Sou eurocéptico, mas não cou a favor da pena de morte, nem sou a contra o aborto legal.

João Mamede disse...

O que eu digo é: A Polónia sabia no que se meteu não como o reino unido que foi levado pelas mudanças. É por isso que digo. Fora com a polónia e fora com o reino unido. Os gémeos fachistas polacos são uma vergonha.

Anónimo disse...

A ideia da Polónia de se celebrar, em vez, um dia para a vida é bem mais coerente!! Ainda existem pessoas com coragem...

Speeder_76 disse...

O lado mau da unanimidade é este: um país pode dizer não para bloquear todo um processo, por mais inócuo que seja. E como temos na Polónia um governo católico, aliado a partidos de extrema-direita, temos estes embaraços...

Espero que o impasse seja bloqueado o mais rapidamente possivel, e os católicos têm que meter na cabeça de uma vez por todos que o tempo em que o Estado se subordinava aos interesses da Igreja acabou, e não volta mais!

Diogo em Macau disse...

Parece-me que os Polacos têm toda a razão! De facto, a pena de morte é má e indesejável, mas pior ainda que matar um criminoso, é matar uma criaça que ainda nem nasceu.
Um dia pela defesa da vida faz muito mais sentido!