segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Nacionalistas II

Continuando o post anterior, afinal foi Alessandra Mussolini que decidiu sair do grupo de extrema-direita - Identidade, Tradição, Soberania - do Parlamento Europeu. O que, em princípio, deverá permitir ao ITS continuar a existir... se os cinco membros romenos aceitarem continuar.

A saída de Alessandra Mussolini foi fortemente impulsionada, e trabalhada na sombra, pelo presidente do grupo, o francês Bruno Gollnisch, membro da Frente Nacional de Jean-Marie Le Pen. Isto, esperando conseguir guardar os cinco romenos, essenciais para manter o número mínimo de deputados necessário para garantir a sobrevivência do grupo parlamentar.

Alessandra Mussolini explicou numa carta enviada na segunda-feira ao presidente do PE que decidiu sair por causa "das declarações insultuosas e utilizadas como pretexto por Corneliu Vadim Tudor", o lider dos cinco eurodeputados romenos do ITS e autor do comunicado de imprensa anunciando o abandono do grupo que citei no último post.

"Acusar de xenofobia e de intolerância alguém que, como eu, não fez mais do que denunciar acontecimentos que fazem parte da crónica negra da Itália dos últimos anos (...) significa que se perderam os argumentos".

E a neta de Benito Mussolini continua: "é um grave problema para mim, e não para Tudor, se centenas de romenas vêm prostituir-se nas ruas italianas. É um grave problema para mim, e não para Tudor, se a violência bestial dos bandos de criminosos provenientes da Roménia matou italianos". É por causa do "laxismo de todos os homens políticos romenos que a situação em Itália se tornou insustentável", conclui.

3 comentários:

O Raio disse...

"é um grave problema para mim, e não para Tudor, se centenas de romenas vêm prostituir-se nas ruas italianas. É um grave problema para mim, e não para Tudor, se a violência bestial dos bandos de criminosos provenientes da Roménia matou italianos...".

Isto é um bocado o roto a rir-se do nú...

Creio que qualquer americano poderia fazer um discurso semelhante mas substituindo a palavre romenos por italianos e italianos por americanos.

Será que esta senhora já ouviu falar da Mafia, da Cosa Nostra, da Nghte qq coisa, etc.

Se esta senhora fosse americana certamente que apoiaria a expulsão dos italianos da Améríca...

E é este o perigo das generalizações, lá, como cá.

Qualquer que seja a raça, nacionalidade ou grupo étnico há sempre bons e maus.

Cá em Portugal há muita gente que acha que preto é mandrião, ignorante, criminoso, etc.

São obviamente ignorantes e ignorantes perigosos pois, na sua ignorância vão espalhando ódios e incompreensões.

A minha médica, por exemplo, é de origem africana e bem escura, por sinal. Isto não impede que seja uma boa médica, melhor do que médicos brancos que já consultei.

Conheço também uma senhora, com quase noventa anos, que já foi assaltada várias vezes na rua, uma delas brutalmente.

Esta senhora, sempre que o assunto vem á baila, frisa que todas as vezes que foi assaltada foi por portuueses e portugueses bem brancos.

Infelizmente o tipo de discurso da tal senhora italiana está a tornar-se cada vez mais frequente na Europa, quer entre os que o dizem abertamente quer entre os que o não o dizem mas, lá no íntimo, para os seus botões, vão concordando com ele.

A política actualmente existente na União Europeia de ir esbatendo as nacionalidades, ignorar a baixa taxa de natalidade e de tentar substituir as crianças que não temos por imigrantes só vem piorar esta situação.

Eu até acho que se deve favorecer a imigração, mas também acho que esta não deve servir para substituir as crianças que não temos.

Se a UE se quisesse tornar útil para alguma coisa, em vez dos discursos balofos e sem sentido que os líderes europeus normalmente fazem, faria era um programa de incentivo á natalidade em toda a União.

Só que isto custa dinheiro e eles preferem gastá-lo antes a apoiar os grupos tipo ONG's que passam o tempo a dizer maravilhas da integração europeia.

Joao EU disse...

"Esta senhora, sempre que o assunto vem á baila, frisa que todas as vezes que foi assaltada foi por portuueses e portugueses bem brancos."

Neste verão fui vitima de uma tentativa de rapto por parte de 2 pessoas de leste. Deveria ser para levantar dinheiro no MB, suponho.
Eles falavem português fluente, com sotaque de leste. Eram algo louros, logo suponho que seriam ucranianos (não sei).
Tentaram empurrar-me para dentro do carro deles, mas não conseguiram.

Há criminosos em toda a parte. Não associo nacionalidades ou raças a à ideia de crime.



Mesmo assim:
Portugal fora da UE
Impostos baixos (IRC, IVA)
Impostos Altos (IRS nos escalões altos, luxos, fortunas, sucessões, vicios)
Burocracia baixa
e com muitos estrangeiros a viver cá!

Diogo em Macau disse...

"Il y a bien sûr la refondation de la politique agricole commune après 2013."
Sem dúvida que este é um assunto que tem que ser debatido!!! Será que os cidadãos europeus estão dispostos a pagar grande parte do orçamento comunitário uma PAC que só impede que os produtos de outros países nos cheguem mais baratos às prateleiras dos supermercados?
E ainda bem que é o Presidente de França a pedir este debate porque a França tem sido a grande opositora ao fim da PAC...